Cookie Consent by Free Privacy Policy PPC - Campanhas pagas e as mudanças de algoritmo do Google
  • Equipa Cucabytech

PPC - Campanhas pagas e as mudanças de algoritmo do Google

Atualizado: há 4 dias

É cada vez mais comum, sem experiência prévia e sem formação certificada, fazer-se campanhas pagas no Google.

Se quem tem certificação e o faz de forma sistemática todos os dias há anos não deve(ria) garantir resultados, imagino o quanto o "pouco" gasto todos os dias em Google Adwords (recentemente renomeado para Google Ads) realmente custa às empresas no final do ano...

Contudo, se está a fazer campanhas pagas no Google por si próprio, saiba que

É possível obter cliques de qualidade a baixo custo utilizando ferramentas de planeamento de pesquisa que o próprio Google Ads disponibiliza

Após entrar na conta do Google Ads, clicando em Ferramentas e Definições, surgem vários menus e submenus.

O submenu em que deve clicar é o Planeador de Palavras Chave.


Mas antes disso, sugiro que na Keyword Tool, no Ubersuggest, ou mediante a instalação da extensão Keyword Surfer no Google Chrome (a Ubersuggest também já existe como extensão do Chrome) insira a(s) palavra(s) chave(s) mais relevantes para o seu negócio e que podem ajudar a trazer mais tráfego, vendas ou leads de acordo com o objetivo da campanha.

As extensões no Chrome do Ubersuggest e do Keyword Surfer imediatamente permitem saber o volume de palavras chave pesquisadas no mundo ou país a país, mediante o que conteúdo que inseriu na pesquisa do próprio Google.

A Keyword Tool só disponibiliza essa informação na versão paga, no entanto apresenta uma lista substancial de palavras sugeridas mediante a(s) palavra(s) chave(s) mais relevantes para o seu negócio.


No canto inferior direito da página da Keyword Tool deve clicar em: Copy/Export All + Copy to Clipboard.

Após esse procedimento, voltando ao Google Ads - Planeador de Palavras Chave, deve clicar em Obter volume de pesquisa e previsões e, na caixa que diz Introduza ou cole as suas palavras chave (...), carregar em simultâneo nas teclas do seu teclado Ctrl e V ou "Maçã" e V se estiver a trabalhar com um Mac.


Se não resultar, é necessário voltar ao Keyword Tool e fazer: Copy/Export All + Copy to Clipboard e voltar a carregar em simultâneo nas teclas do seu teclado Ctrl e V ou "Maçã" e V se estiver a trabalhar com um Mac.


Deverá ver no ecrã, algo como o que surge na imagem à esquerda, sendo que o número de sugestões da palavras chave relacionadas com a que introduziu no Keyword Tool é muito variável.

Podem ser 5, como podem ser 500..., como pode ser 1.

Depende da relevância da palavra chave para quem faz pesquisas online.


Clicando no botão azul COMEÇAR, automaticamente se é redirecionado para uma página como menu indica PREVISÕES.

Não é essa página que interessa. Sendo certo que é uma página importante para quem trabalha com o Google Ads, para quem está numa fase inicial no Adwords é mais relevante a página obtida clicando no menu HISTÓRICO DE MÉTRICAS.

Clicando no separador Média de pesquisa mensais, a informação será organizada de forma decrescente das palavras chave mais relevantes e com mais pesquisas (exemplo na imagem abaixo) para as que têm menos pesquisas mensais.

O foco aqui é o "triângulo dourado": Baixa Concorrência | menor Custo do Lance no topo da página | Maior Média mensal de pesquisas

A sugestão é, no anúncio da campanha de pesquisa paga, usar as palavras chave ou expressões de correspondência exata mediante um pensamento “fora da caixa” que possibilite maximar os cliques relevantes (os que trazem vendas ou leads) ao mais baixo custo possível.

Para isso é necessário utilizar o símbolo + junto das palavras chave escolhidas (ex.:

+cruzeiros+douro) ou o Google vai apresentar o anúncio a todas as pesquisas que tenham uma dessas palavras chave (e sem qualquer tipo de relevância para o que pretendemos).


Tendo em conta que cerca de 70% das pessoas que faz pesquisas no Google não sabe diferenciar anúncios dos resultados orgânicos (SEO), não usando o + junto das palavras chave escolhidas possivelmente vai pagar por cliques sem retorno e cuja elevada taxa de rejeição vai inclusive prejudicar o índice de qualidade do seu anúncio, elevando até o custo por clique.

Sobre Campanhas Pagas de PPC (pay per click) há tanto para dizer e tantos formatos de anúncios e redes para anunciar, que em caso de dúvida ou interesse em pagar menos por clique e em obter mais vendas ou leads, sugiro o uso do formulário de contacto ou o email miguel.c@cucabytech.pt e responderei com brevidade :)

O que é fundamental saber e controlar


Quando há procura de mercado e alguém tem uma estratégia bem sucedida, muitas vezes a tendência natural é fazer igual ou parecido.

Contudo, se está a fazer por si mesmo ou a trabalhar com uma agência ou com um freelancer, é conveniente saber qual o custo mínimo das palavras chave/expressões mais pertinentes para o seu negócio com um volume de pesquisas relevante e estimar qual o retorno esperado da campanha.


A estimação do custo das palavras chave foi explicada acima, pelo o foco agora será como garantir o retorno do investimento numa campanha no Google Ads.


» O custo total por clique que converte tem de ser inferior a:


Custo do produto ou serviço - (menos)

Custo de estrutura da empresa -

Juros - Impostos


Ex.: Para fazer uma venda online foram necessários 10 cliques no anúncio a um preço médio de 55 cêntimos.


Custo total campanha: 10 x 0,55€ = 5,5€

Margem de lucro por unidade* = 4,5€


*Custos Operacionais - Custos Financeiros do produto ou serviço vendido


Conclusão:

» A campanha não é rentável


Sugestão:

» Baixar o custo por clique com um pensamento fora da caixa que converta o máximo de cliques em leads ou vendas ao mais máximo custo unitário


Esta situação de "descontrolo" de custos é principalmente notória em campanhas online pagas de serviços, em que não há um produto "físico" e, como tal, por vezes, não existe um custo unitário atribuído aos serviços que estão a ser promovidos nas campanhas do Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads, etc.


Outra razão é que para efeitos das campanhas Adwords e nas redes sociais, há empresas que calculam a margem sem contabilizar os custos operacionais e os custos financeiros de toda a estrutura, assim como os impostos

Se um sapato é comprado na China a 45€ e é vendido online por 65€, entendem como rentável o retorno da campanha até 20€ por clique...

Não contabilizam os custos operacionais da empresa (água, luz, renda, salários, etc), nem os custos financeiros não só da empresa (juros, impostos, contribuições) como também os que o Paypal, a Unicre, o Hipay ou outro gateway de pagamento cobram por cada transação.

O "fenónemo" da compra de Papel Higiénico como exemplo

No início do confinamento devido ao Covid-19, praticamente de um dia para o outro, o custo de palavras chave relacionadas com papel higiénico quadriplicou, a concorrência disparou e os Custos por Clique (CPC) tornaram-se elevadíssimos.

Cinco a seis semanas depois, os CPC relacionados com papel higiénico caíram entre 64% a 75%, assim como o número de pesquisas, tendo em conta que quase ninguém tinha intenção de comprar.


O retorno do investimento das campanhas no Google Ads tinha variações diárias significativas, até no espaço de horas. Se de manhã a campanha tinha um retorno positivo, à tarde já estava a dar prejuízo, pelo que

a monitorização do volume de pesquisas e dos CPCs médios das palavras chave, acompanhando e registando as evoluções diárias e semanais (por vezes muito significativas) podem fazer toda a diferença no resultado positivo ou negativo das campanhas no Google Ads

Outros fatores de sucesso imprescindíveis que é necessário prever e acautelar

O texto (copy) dos anúncios, as palavras chave, as extensões, etc, até podem gerar alguns cliques e/ou chamadas, mas, os potenciais compradores clicam e depois?


» A(s) página(s) para a(s) qual(is) são direcionados os utilizadores após os cliques são:


Confusas ou intuitivas?

√ Demoram ou são rápidas a carregar?

√ Estão otimizadas para visualização em telemóvel com sistema operativo android e também ios, tablet?


» Os call to actions (ações a fazer na página)


√ São claros e funcionam devidamente de acordo com o objetivo a atingir (leads ou vendas)?

√ O telefone ou o whatsapp que surgem no anúncio estão disponíveis 24 horas?

√ Os leads captados e as vendas efetuadas ficam guardadas em alguma base de dados em confirmidade com o RGPD ou simplesmente perdem-se | não voltam a ser utilizados


Na verdade, tudo isto é mais importante e certamente traz mais retorno que o número de cliques no anúncio, até porque o segredo da rentabilidade no "mundo digital" está na frequência e recorrência de compra de cada cliente.

Aliás, nada de novo e de diferente face ao "mundo offline".

Inclusive existem aplicações e ferramentas freemium que podem ajudar a fazer a gestão dos leads e das vendas online e offline e até auxiliar no cálculo correto do retorno do investimento.

O que não podemos saber nem controlar


Principalmente, as mudanças no algoritmo do Google ou de outros motores de pesquisa com o Bing, o Duckduckgo (muito bom para navegar com privacidade) e que afetam os resultados da campanhas pagas, mas essencialmente das páginas do site como um todo


Mesmo sendo impossível de controlar estas mudanças, há algumas diretrizes que, por exemplo, o Google publica e que podem servir de orientação tanto no que diz ao "conteúdo orgânico do site" (SEO), como nas campanhas online pagas e que são determinantes no índice de qualidade dos anúncios e das páginas do site:


√ A autoridade e a pontuação do domínio do website

√ Os resultados em pesquisas locais

√ Perda de posicionamento de páginas cujos conteúdos não são atualizados com alguma frequência

√ Desvalorização de páginas com reduzido número de palavras (exceto quando têm vídeos embebidos na página)

√ Penalização de erros de SEO, nomeadamente tags de título e meta descrições duplicadas

√ Reforço da valorização da experiência do utilizador


Setores dos websites em que flutuações nos rankings das páginas foram maiores:

(ver coluna da direita na imagem à esquerda)


» Turismo

» Imobiliário

» Saúde

» Animais de estimação

» Pessoas e sociedade

» Alimentação e bebidas

» Livros | Computadores e Eletrónica



Necessita de algum esclarecimento ou tem alguma questão sobre o que leu?


> Contacte-nos por Telefone ou Whatsapp (918 208 447) ou através do Email abaixo:


» Miguel Cardoso - miguel.c@cucabytech.pt


Podemos dar formação na criação de campanhas pagas no Google Ads, Facebook Ads, Instagram Ads e noutras redes sociais e profissionais, assim como explicar o impacto das mudanças do algortimo do Google no seu site com soluções de apoio a empresas sem avenças mensais nem custos fixos.

Foto créditos @freepik.com @googleads @keywordtool @neilpatel|ubersuggest


#marketing #marketingonline #marketingdigital #ppc

  • Behance
  • Linkedin
  • Facebook

Todos os direitos reservados ©2020 Cucabytech                                   Privacy Policy

PORTUGAL